sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Podcast do Instituto Mises Brasil: entrevista com André Azevedo Alves


Para fechar o ano com chave de ouro depois de um 2014 muito produtivo na divulgação das ideias da Escola Austríaca no Brasil, incluindo o lançamento do terceiro número da revista MISES na terça passada, o Podcast do Instituto Mises Brasil entrevistou André Azevedo Alves, professor e doutor em Ciência Política pela London School of Economics, sobre o artigo acadêmico “Hayek’s Slippery Slope, the Stability of the Mixed Economy and the Dynamics of Rent Seeking” escrito em parceria com o professor John Meadowcroft, do King's College London, e publicado na edição mais recente da revista Political Studies.

***

O Podcast do Instituto Mises Brasil faz uma breve pausa no Natal e no Ano Novo para retornar no dia 9 de janeiro de 2015. E aproveita para desejar boas festas a cada de um vocês que há três anos acompanha semanalmente o nosso trabalho.

***

Todos os Podcasts podem ser baixados e ouvidos pelo site, pela iTunes Store e pelo YouTube.

E se você gostou deste e/ou dos podcasts anteriores, visite o nosso espaço na iTunes Store, faça a avaliação e deixe um comentário.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A tradução de "How to be a Conservative" de Roger Scruton


Na terça-feira acertei com o editor Carlos Andreazza da Editora Record a tradução do livro "How to be a Conservative", do Roger Scruton.

Será publicado no ano que vem com o selo Record de qualidade.

É um excelente livro para conhecer e aprender os fundamentos do pensamento conservador num momento de grande interesse no Brasil pelas ideias conservadoras.

"As Ideias Conservadoras" para melhor livro do ano


Vamos eleger "As Ideias Conservadoras" do João Pereira Coutinho o melhor livro do ano na enquete da Folha.
votei.

Neste momento, o livro lidera a enquete com 94%.

Leitura recomendada

- As ideias conservadoras, segundo João Pereira Coutinho (I)

- As ideias conservadoras, segundo João Pereira Coutinho (II)


- O conservadorismo na revista Exame, segundo JPCoutinho

- João Pereira Coutinho na Veja fala sobre o conservadorismo


- Conservadorismo, reacionarismo, direita e revolução


- O conservadorismo é uma ideologia?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

As célebres histórias de Churchill que jamais aconteceram


Winston Churchill cunhou frases memoráveis e protagonizou episódios hilariantes. Mas há histórias célebres a seu respeito que, infelizmente, jamais aconteceram. Em sua excelente biografia sobre Churchill publicada este ano (The Churchill Factor: How One Man Made History), Boris Johnson (atual prefeito de Londres) mostra algumas delas. Como o diálogo entre Churchill e Lady Nancy Astor, que foi a primeira mulher a se eleger para o parlamento britânico.
Lady Astor: “Se o senhor fosse meu marido, eu colocaria veneno em seu chá”.  
Churchill: “Madame, se a senhora fosse minha mulher, eu beberia”.
Em seu livro, Boris Johnson mostra que, na verdade, trata-se de uma piada com outros personagens que foi publicada numa edição do jornal americano Chicago Tribune no ano de 1900, 40 anos antes de Churchill não ter dito a frase (p. 212 do ebook de "The Churchill Factor: How One Man Made History"). A hipótese mais plausível é que alguém tenha atribuído a Churchill a história, que depois foi disseminada como tantas outras.

Outro ótimo episódio que, infelizmente, não é verdadeiro é a troca de telegramas entre Churchill e George Bernard Shaw (está na p. 213 do livro "The Churchill Factor"):
Bernard Shaw para Churchill:
- Tenho o prazer e a honra de convidar digno primeiro-ministro para primeira apresentação minha peça Pigmaleão. Venha e traga um amigo, se tiver. 
Resposta de Churchill:
- Agradeço ilustre escritor honroso convite. Infelizmente não poderei comparecer primeira apresentação. Irei à segunda, se houver.
No site do The Churchill Centre há outras frases que Churchill jamais disse. Felizmente, há muitas outras frases e histórias verdadeiras na biografia do Churchill.