quinta-feira, 8 de março de 2012

Filme recompõe trabalho de Hannah Arendt no julgamento de A. Eichmann


Deve estrear em outubro na Alemanha o filme “Hannah Arendt”, que, em vez de uma biografia da filósofa judia alemã, será uma tentativa de reconstruir o seu trabalho como jornalista para a revista New Yorker em 1961 na cobertura do julgamento de Adolf Eichmann em Jerusalém. Seus textos depois foram organizados no livro Eichmann em Jerusalém – Um Relato sobre a Banalidade do Mal, uma perspectiva interessante, e igualmente polêmica, sobre o comportamento dos nazis contra os judeus: em vez dos tarados insanos e cruéis que se esperava, eram aqueles indivíduos que, a exemplo de Eichmann, não esboçavam arrependimento sobre seus atos e se justificavam como meros cumpridores de ordens (para uma dimensão mais substantiva do problema, recomendo Hitler e os Alemães, de Eric Voegelin).

Margarethe von Trotta é a diretora do filme e a atriz Barbara Sukowa interpreta Hannah Arendt. Uma obra que deve ser vista pelos interessados em política, filosofia e nazismo.

Leitura recomendada

- Trabalho de Hannah Arendt sobre o julgamento de Adolf Eichmann vira filme de Margarethe von Trotta.
- The Eichmann Polemics: Hannah Arendt and Her Critics.